Espírito Santo em Ação

Resíduos do bem: do óleo de cozinha ao biocombustível


04.10.2010

Um estudo divulgado neste mês de setembro pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) comprova que há uma clara preocupação das empresas brasileiras quanto ao que consumidores, acionistas, mídia e concorrentes percebem delas com relação às questões ambientais.
 
O levantamento mostrou que procedimentos relacionados à gestão ambiental, como economia de energia elétrica e reutilização da água, são adotados por 71% das empresas. Esse porcentual diminui para 61% entre as pequenas empresas e sobe para 94,9% entre as grandes.
 
Ainda de acordo com o estudo, dentre os principais programas adotados pelas empresas que possuem Sistema de Gestão Ambiental têm destaque a redução na geração de resíduos (80,1%), o uso eficiente de energia (69,5%), a redução no consumo de água (58,3%), o uso de resíduos como matéria-prima ou insumo (45,9%) e a reutilização de água (43,6%).
 
Aqui, no Estado, há vários exemplos de como essa preocupação já faz parte da política de atuação das empresas. Uma boa referência é a empresa Marca Ambiental, que tem reaproveitado resíduos para transformá-los em oportunidades de negócios. Um dos seus projetos mais bem-sucedidos é o de reciclagem de óleo de fritura para a produção de biodiesel. Chamada de Biomarca, a iniciativa nasceu há cerca de quatro anos por conta da necessidade de ser criar um destino adequado ao óleo de fritura gerado em bares, restaurantes, cozinhas industriais, hotéis, condomínios e residências.
 
Uma microrrefinaria modular, com capacidade de produzir 30 mil litros desse combustível por mês, gera o biodiesel que é usado no centro de tratamento de resíduos da empresa. E os esforços na reciclagem não param por aí. Também há o reaproveitamento de um subproduto desse combustível, o glicerol - cerca de 4,5 mil litros dessa glicerina bruta gerada por mês que serão utilizados na fabricação de sabão pastoso glicerina.
 
Parcerias

 
Parte do óleo utilizado pela Marca Ambiental para produção do biodiesel é proveniente dos refeitórios da ArcelorMittal Tubarão de onde são recolhidos cerca de 1.600 litros de óleo de fritura por mês. O biodiesel produzido a partir deste óleo abastece 20% da frota da Marca Ambiental.
 
Outro coproduto fornecido pela produtora de aço para a Marca Ambiental é a escória de aciaria. São utilizadas, em média, 2.800 toneladas por mês desse resíduo na compactação de vias e na fabricação de blocos, meio-fios e pavers. Esse trabalho é de ressocialização e emprega 50 apenados.
 
Saiba mais:

Pesquisas mostram que os brasileiros consomem aproximadamente três bilhões de litros de óleo de cozinha por ano. No Espírito Santo, esse consumo é de aproximadamente 150 milhões. Depois de usado, parte desse óleo é jogada na rede de drenagem pluvial e rede de esgoto. Isso acarreta aumento do custo no tratamento dessas redes em até 45% e também causa o entupimento das tubulações.

Alguns estudos indicam que apenas um litro de óleo é suficiente para contaminar até um milhão de litros de água, o equivalente ao consumo de um ser humano por 14 anos.

Fonte: Assessoria ArcelorMittal

Espírito Santo em Ação © Copyright 2009, Espírito Santo em Ação

Rua. José Alexandre Buaiz, 190 - Ed. Master Tower - Sala 1414 - 14º andar - Enseada do Suá - Vitória - ES CEP: 29050-918
TEL: (27) 3024-7700 | FAX: (27) 3024-7709

Fivecom